29 maio 2012

COMO A BANCA DEFRAUDA OS CLINTES / É Global...



Canadiana de 12 anos foi aos EUA explicar como a banca defrauda os clientes

2012 AS CRIANÇAS CRISTAL, SUCESSORAS DAS CRIANÇAS INDIGO E EM CONTINUAÇÃO DO TRABALHO DESTAS, VIERAM PARA ABALAR DEFINITIVAMENTE TUDO AQUILO QUE ESTÁ PODRE E NÃO FUNCIONA EM PROL DO BEM COMUM E QUE PRECISA URGENTEMENTE DE SER MUDADO! ELAS SABEM PERFEITAMENTE QUE O TEMPO DELAS INTERVIREM PROFUNDAMENTE, NA NOSSA SOCIEDADE PODRE E EXPLORADORA, CHEGOU! TREMAM "PODEROSOS" PORQUE CHEGOU A HORA DA INTERVENÇÃO DOS ANJOS! 

Numa conferência sobre o sistema bancário, que decorreu na cidade norte-americana de Filadélfia, uma jovem adolescente canadiana explicou por que é que a banca privada enriquece e os seus clientes não.

Chama-se Victoria Grant, é canadiana e tem 12 anos. No passado dia 27 de Abril, proferiu um discurso numa conferência sobre o sistema bancário na América, que decorreu em Filadélfia, onde explicou à audiência a razão pela qual os bancos não estão a funcionar bem. 

Grant pronunciou-se contra as fraudes cometidas pela banca e explicou por que é que o seu país e grande parte do resto do mundo se confronta com um elevado nível de endividamento. O vídeo, que está no Youtube, já teve perto de 300.000 visualizações. Os bancos prejudicam simultaneamente os governos e os seus clientes, na opinião de Victoria Grant. E uma vez que os clientes também pagam impostos para o serviço da dívida nacional, os bancos prejudicam-nos duplamente, opinou. 

“Já se interrogaram sobre o porquê de o Canadá estar tão endividado? Já se interrogaram sobre o porquê de os banqueiros dos maiores bancos privados estarem cada vez mais ricos e nós não?”, perguntou Grant à audiência. 

Na sua opinião, o sistema bancário canadiano está a "roubar" as pessoas. E como? 

“Eu explico-vos por que é que os bancos privados não estão a funcionar”, asseverou Victoria Grant. Em primeiro lugar, o governo financia-se junto dos bancos privados e depois continua a aumentar os impostos, ano após ano, para pagar os juros e o serviço da dívida, afirmou. 

Os bancos emprestam dinheiro falso, dinheiro que não existe, pois emprestam muito mais do que aquilo que têm realmente nos seus cofres, disse Grant. “Cada vez que os bancos concedem um empréstimo, é criado um novo cartão de crédito, há novos depósitos e dinheiro novo. Generalizando, todo o novo dinheiro que vem do banco assume a forma de empréstimo. Como os empréstimos são dívida, então no actual sistema todo o dinheiro é dívida”. 

“Os bancos privados estão a defraudar e a roubar o povo canadiano e têm de ser travados. (…) Parecem os vendilhões do templo, pois manipulam a moeda para roubarem dinheiro ao povo”, atirou.

No seu entender, se o governo canadiano precisar de dinheiro, deve pedi-lo emprestado diretamente ao banco central. Esse cenário mudaria as coisas para melhor, explicou. “As pessoas pagariam então impostos justos para reembolsar o Banco do Canadá. Esse dinheiro dos impostos seria por sua vez reinjetado na nossa infra-estrutura econômica. Os canadianos poderiam prosperar de novo, com dinheiro real como fundação da estrutura econômica e não com dinheiro de dívida”.

“O que é evidente para mim, e só tenho 12 anos, é que estamos a ser defraudados e roubados pelo sistema bancário e um governo cúmplice”. E isso é doloroso, acrescentou. 

“O que faremos para travar este crime?” pergunta...

A resposta veio com a conclusão do discurso de quase sete minutos: “Nunca duvidei que um pequeno grupo de pessoas pode mudar o mundo.

Na verdade, foi sempre assim que ele mudou”. Os aplausos foram muitos e o vídeo continua a ser partilhado e divulgado em todo o mundo.



Enviar um comentário